A Lareira Cósmica

A Grande Nebulosa de Orion é destaque nesta incrível imagem do Telescópio “WISE“ o equipamento de infravermelho explorador da NASA.

Crédito da imagem : NASA / JPL- Caltech / WISE Equipe

Crédito da imagem : NASA / JPL- Caltech / WISE Equipe

A constelação de Orion, no período de dezembro a abril de cada ano, é proeminente no céu noturno em todo o mundo.

A nebulosa de Orion (catalogada como “Messier 42”) está localizada na espada de Orion, pendurado em seu famoso cinto de três estrelas. O aglomerado de estrelas embutido na nebulosa é visível a olho nu como uma única estrela, com alguma imprecisão aparente para os observadores mais atentos. Devido à sua importância, as culturas de todo o mundo deram um significado especial para Orion;

– Os Maias, na América Central, vislumbravam a parte inferior do Orion, o cinto e os pés (as estrelas “Saiph” e “Rigel”), e interpretavam essa Nebulosa como o “fogo cósmico da criação cercada pela fumaça do suposto evento. Em todas as casas maias, no centro delas, havia uma formação triangular numa lareira de três pedras. Essa metáfora retrata no fundo uma realidade porque a Nebulosa de Orion é um dos lugares secretos do Universo, nessa enorme nuvem de poeira e gás, novas estrelas estão sendo forjadas e é um dos locais mais próximos de formação de estrelas a partir da Terra e , portanto, fornece aos astrônomos a melhor vista do nascimento estelar. Muitos outros telescópios foram usados ​​para estudar a nebulosa em detalhe , encontrando maravilhas como discos de formação planetária em torno de estrelas recém-formadas. O “WISE” realiza um levantamento de todo o céu e a capacidade de ver esses locais de formação de estrelas se estende por um campo maior que seis vezes a largura da lua cheia, abrangendo uma região com cerca de 100 anos-luz de diâmetro. Nele , vemos a nebulosa Orion cercado por grandes quantidades de poeira interestelar, de cor verde.

Os astrônomos agora percebem que a nebulosa de Orion é parte de um complexo de nuvens moleculares ainda maior, que inclui também a Nebulosa da Chama outro complexo da Via Láctea que está ativamente fazendo novas estrelas.

Crédito da Imagem: Observatório Austral Europeu

Crédito da Imagem: Observatório Austral Europeu

 

Texto Original: http://wise.ssl.berkeley.edu/gallery_OrionNebula.html

Tradução da língua inglesa  e adaptação: Marcelo Pelucio (www.marcelopelucio.org)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s